“Com educação, a criança vai romper o ciclo da pobreza”, diz Caiado em sabatina da rádio CBN e jornal O Popular


Candidato à reeleição, o governador destacou que, se eleito, continuará investindo em ações que mudem a realidade das famílias carentes e também nos investimentos estruturantes que vão garantir o desenvolvimento do Estado

“Política social não é apenas transferência de renda, você tem que ter ações de qualidade”, defendeu o governador de Goiás e candidato à reeleição Ronaldo Caiado (União Brasil), durante sabatina nesta segunda-feira (22/08), realizada pelo Jornal O Popular e Rádio CBN, com os jornalistas Fabiana Pulcineli e Luiz Geraldo. O governador ressaltou os investimentos da sua atual gestão que passam pela estrutura das escolas, na formação dos professores e no suporte para os estudantes, garantindo assim o papel primordial da Educação para que crianças e jovens tenham oportunidade de desenvolvimento, adquiram conhecimento e, no futuro, tenham condições de mobilidade social.

“Desafio qualquer governante do Brasil a vir a Goiás e ver se ele tem uma estrutura educacional como a nossa. Vai na base ver nossos colégios, a formação de nossos professores. Esse é um padrão que mostra que a criança, a partir dali, vai romper o ciclo da pobreza”, disse Caiado citando as escolas reformadas, formação de base para professores, atualização salarial, bolsa para estudantes e investimentos em notebooks, uniformes e material escolar para todos.

Ao ser questionado sobre o plano de governo para os próximos quatro anos, o governador respondeu que “plano é aquele que chega às pessoas”, referindo-se aos vários programas sociais da atual gestão que garantiram a sobrevivência das famílias carentes durante a pandemia de Covid-19 e continuam chegando em todas as regiões e municípios do Estado. E acrescentou que o combate à desigualdade econômica passa pelo investimento em diversas áreas além dos programas sociais, como saúde, educação e geração de emprego. “Pobreza não significa apenas não ter dinheiro. Precisamos avançar ainda em Saúde, Educação, Segurança e oportunidade de emprego”, disse Caiado.

Ele chamou a atenção para a responsabilidade fiscal do seu governo, que pegou o Estado com R$ 7 bilhões de dívidas imediatas deixadas pela gestão anterior, destes R$ 1,6 bilhão somente em folha de pagamento, e conseguiu recuperar as finanças do Estado sem deixar de fazer os investimentos e as políticas sociais necessárias, seguindo rigorosamente o Regime de Recuperação Fiscal (RFF).



O plano assinado com o Governo Federal renegociou as dívidas herdadas com a condição do Estado não romper o teto de gastos. “O RFF é deixar de pagar quase R$ 3 bilhões por ano de juros e parcelas para pagar R$ 90 milhões este ano, R$ 470 milhões no próximo e, assim, progressivamente. O acordo que fizemos, vamos cumprir”, afirmou o governador, reforçando as limitações financeiras em razão do RRF. “O governo passado até tentou, mas não cumpriu o que acordou e o Estado foi multado em R$ 1 bilhão”, lamentou Caiado.

Saúde

O governador citou o forte investimento na regionalização da saúde, com padrão de excelência das Policlínicas, hemodiálise e a construção do novo hospital oncológico, que deve começar ainda em setembro, para tratar o câncer infantil, e que terá tratamento para adultos na segunda etapa. “Até eu assumir o governo, Goiás nunca teve um serviço de tratamento oncológico. Instalamos o primeiro em Uruaçu”, contou.

O governador explicou que o Estado priorizou o investimento na criação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e no combate à pandemia da Covid-19. “Passamos a ter, no pico da pandemia, mais de mil leitos de UTI em Goiás todo”, lembrou o governador. Antes, o Estado dispunha de leitos de UTI em apenas três cidades e, agora, esse atendimento é possível em 23 municípios: “E todas as estruturas que fizemos continuam como legado para o atendimento de saúde do Estado de Goiás”, pontuou.

Com o sucesso das ações estruturantes na saúde e da vacinação no Estado, as próximas ações focam em sanar a fila de cirurgias eletivas e a implantação da telemedicina. “Neste momento, temos toda a estrutura para desenvolvermos a tecnologia. Vamos fazer, consta no nosso plano de governo”, disse Caiado.

Infraestrutura

Caiado explicou que, antes de um processo de industrialização, é preciso seguir com ações estruturantes e aumento da produção, aliando a vocação agrícola do Estado com tecnologia de ponta. E que essa premissa foi estabelecida pelo seu governo no Estado, que foi o primeiro do País a testar a tecnologia 5G, uso de drones teleguiados, centros de inteligência, uso de robôs e diminuição do uso de herbicidas. “O melhor em tecnologia, em irrigação, em produção de frutas, produção de todas as outras proteínas. Isso é planejamento”.

Mais uma vez, Caiado ressaltou a responsabilidade de seu governo: “Um programa de governo tem que ser compatível com a realidade que temos. Nós ouvimos falar nos governos anteriores de Trem Bala, Metrô. Cadê? Sinalizar obras faraônicas serviu muito mais para Caixa 2 do que realmente para beneficiar a sociedade goiana”.

Ainda sobre as ações que tem feito para impulsionar o desenvolvimento em Goiás, o governador citou as novas rodovias, que favorecem o escoamento agrícola de regiões de antes difícil acesso, como a interligação do Vale do Araguaia ao Mato Grosso, Crixás a Nova Crixás, Uirapuru a Mundo Novo. No nordeste goiano, de Divinópolis até Monte Alegre, de Iaciara até São Domingos. "Em Goiás, nós não fizemos uma rodovia sem objetivo, sem planejamento prévio para saber onde queremos chegar e qual será o avanço também”, disse Caiado.
Share on Google Plus

About Grupo GBC

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão publicados.