Caiado e Bolsonaro participam em Goiânia, da solenidade de passagem de comando da unidade de Operações Especiais do Exército Brasileiro

Organização militar passa a ter como comandante o general de brigada Carlos Alberto Rodrigues Pimentel. Deixa a função general de divisão Gustavo Henrique Dutra de Menezes. Com sede na capital goiana e unidades em outros dois estados, Comando de Operações Especiais possui preparação para cumprimento de missões operacionais terrestres. Durante solenidade, Bolsonaro cita compromisso com estado democrático. “Sempre estivemos e estaremos dentro das quatro linhas da nossa Constituição”



O governador Ronaldo Caiado, ao lado do presidente da República, Jair Bolsonaro, participou, na manhã desta sexta-feira (27/08), da solenidade militar de passagem do cargo de comandante de Operações Especiais do Exército Brasileiro. A cerimônia ocorreu na sede da unidade, localizada no Jardim Guanabara, em Goiânia.

O evento marcou a transmissão solene do cargo, realizada pelo general de divisão Gustavo Henrique Dutra de Menezes para o general de brigada Carlos Alberto Rodrigues Pimentel. A cerimônia teve ainda demonstração de salto livre operacional com paraquedistas especializados e inauguração de fotografia na galeria dos ex-comandantes da instituição.
O presidente Jair Bolsonaro reforçou o compromisso com a carta constitucional e enalteceu a atuação dos soldados na defesa da ordem e da liberdade. “Nós sempre estivemos e estaremos dentro das quatro linhas da nossa Constituição. A certeza de termos um futuro promissor passa pelo soldado brasileiro. Que ele seja um anônimo, mas, na verdade, é um gigante na defesa de sua pátria”, assinalou.
Nomeado para assumir o Comando de Operações Especiais (COpEsp), o general de brigada Carlos Alberto Rodrigues Pimentel, natural de Ponta Porã (MS), é membro do Exército desde 1985 e relembrou a trajetória do serviço especializado que completará 65 anos de existência no próximo ano. “O COpEsp é um sonho antigo: uma grande unidade operacional que conseguisse congregar todas as capacidades das operações especiais do combate moderno. Hoje é uma realidade”, destacou ao se reportar à história de quase 20 anos da unidade.

O general Gustavo Henrique Dutra de Menezes, que deixa a função, definiu o momento como o fechamento de um ciclo caracterizado por “profunda realização profissional e sentimento de gratidão” e destacou o comprometimento da equipe. “A vibração constante, mesmo nos momentos mais difíceis, mostra que temos o que há de melhor entre os combatentes”, salientou. Nascido no Rio de Janeiro, atua no Exército desde 1984.

O comandante Militar do Planalto, general de divisão Rui Yutaka Matsuda, dirigiu-se ao ex-comandante. “Pela sua liderança, a tropa tornou-se cúmplice de seus valores. Sonham em fazer deste um Brasil maior, soberano e justo”, destacou ao proceder a leitura de elogios dentro do protocolo solene.

Operações Especiais

Com sede em Goiânia, o Comando de Operações Especiais (COpEsp) integra a estrutura do Exército Brasileiro e compreende organizações militares com capacidade de atuação operacional independente e integradas por unidades de combate e de apoio. O COpEsp está subordinado ao Comando Militar do Planalto, integra a Força de Ação Rápida Estratégica do Exército e está preparado para o cumprimento de missões operacionais terrestres.

O Comando de Operações Especiais possui as seguintes organizações subordinadas localizadas em Goiânia: 1º Batalhão de Forças Especiais; 1º Batalhão de Ações de Comandos; 1º Batalhão de Operações Psicológicas; Batalhão de Apoio às Operações Especiais; Base Administrativa do Comando de Operações Especiais; Companhia de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear; 6º Pelotão de Polícia do Exército. Ainda vinculado ao Comando, o Centro de Instrução de Operações Especiais fica em Niterói-RJ e a 3ª Companhia de Forças Especiais está situada em Manaus-AM.

Por Gessy Chaves
Jornalista
Fotos: Cristiano Borges


Share on Google Plus

About Grupo GBC

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão publicados.