Na Cidade de Goiás Bombeiro de folga salva recém nascido de 20 dias, que estava engasgado


No início da tarde deste domingo, 03 de abril, um bombeiro de folga acabou salvando a vida de um bebê com apenas 20 dias de nascimento. O fato ocorreu por volta de 12:45h, no Setor Três Palmeiras, ao lado do Jardim Paraíso que fica na saída para Jussara na Cidade de Goiás. Isso é o que mostram as câmeras de segurança da rua em que moram a família da criança e também do 3º Sgto. Dioclênio, que disse ''estar em casa quando a campainha tocou, era a avô, com a criança esgasgada, e à entregou amim''.

Lucas Gabriel e o 3º Sgto. Dioclênio

Segundo a mãe do nenê, Itamara Rodrigues Vasconcelos de 20 anos, falando especialmente à nossa reportagem '' meu filho Lucas Gabriel (foto) que tinha apenas 20 dias de nascido, dei a mamadeira para ele, e o coloquei para arrotar, quando percebi que ele arrotou, levei para o berço deixando-o ali para dormir. Sai do quarto mas sempre observando o berço pra ver se estava tudo bem, como sempre faço. Quando em um determinado momento eu olhei para Lucas e percebi que ele jorrava leite pela boca e o nariz e se encontrava com os olhos abertos''. Disse ela.

 

De imediato, a mãe Itamara correu pegando a criança, vendo que estava engasgado chamou pela Raquel, avó da criança. Lembraram então que morava muito próximo a um vizinho Bombeiro. A avó Raquel não pensou duas vezes correu com Lucas nos braços até a casa do 3º Stgo. BBM Dioclênio que segurou a criança nos braços e de imediato vendo o seu estado aplicou a "Manobra de Heimlich", ação praticada pelo Bombeiro Militar, que faz parte dos procedimentos padrões em um atendimento normal se estivesse de serviço.

 

Mesmo estando de folga, segundo a mãe da criança Itamara, ''o 3º Sgto. Dioclênio não mediu esforço e com muita dedicação e só depois que meu filho voltou ao normal, foi quando o Bombeiro viu que Lucas chorou, ele com todo cuidado não só desengasgou Lucas, como prosseguiu limpando o nariz da criança com cotonete. E devolveu o meu filho aos nossos braços com vida''.

A mãe da criança ainda disse que Dioclênio esteve posteriormente na sua casa para deixar seu telefone, ''e ele se colocou a minha disposição se caso eu precisasse, e eu não tenho palavras para agradecer ao 3º Sgto. Dioclênio por tudo, já não sabiamos mais o que fazer, e ele salvou meu filho''.


Por Gessy Chaves
Jornalista
MT/GO3243






Share on Google Plus

About Grupo GBC

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão publicados.