Polícia Militar fecha abate clandestino de gado na cidade de Inhumas-GO


Além das carnes impróprias pra consumo, foram apreendidas no local duas armas de fogo. Uma pessoa foi presa em flagrante durante a ação.

A Polícia Militar de Goiás fechou nesta terça-feira (16/03) um abate clandestino de gado, em uma propriedade rural de Inhumas, região metropolitana de Goiânia. No local, foram encontrados restos de sete bovinos abatidos, que eram armazenados de maneira imprópria e sem os padrões de higiene adequados. Duas armas de fogo também foram apreendidas. Um homem foi preso em flagrante durante a ação.

O local foi descoberto por equipes do Comando de Policiamento Especializado (CPE), que encerravam outra ocorrência de tráfico de drogas, na mesma fazenda. Durante as diligências, os policiais identificaram o abate clandestino e acionaram militares do Batalhão Rural. Além de grande quantidade de carnes, foram encontrados vários couros de animais, que já haviam sido abatidos. Parte do material estava ao lado de um chiqueiro e o restante coberto por moscas.

“Fizemos a autuação do filho da proprietária, que era o responsável pelo abate. Ele disse que é corretor de compra e venda de gado e que fazia a venda de carne abatida no local ilegalmente. Nós tivemos informações, inclusive, de que ele abatia esse gado para abastecer um açougue que ele tem, no município de Inhumas”, informou o major da PM, Ygor Morais, subcomandante do Batalhão Rural.

Após buscas na propriedade, os militares encontraram também uma espingarda calibre .32 e uma espingarda caseira, ambas sem registro. As armas eram usadas para fazer o abate do gado. Uma das suspeitas é de que os bovinos abatidos fossem oriundos de crimes de furto e roubo, na região. “Não foi possível identificar, contudo, a origem das rezes encontradas no local, porque a marca do gado foi recortada do couro”, disse. A situação deverá ser alvo de investigação da Polícia Civil.

A Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) participou da ação e recolheu a carne para descarte em aterro sanitário. “Nós estamos em parceria com a Agrodesa para combater essa comercialização de carne, abatida de forma clandestina, para que isso reflita na redução dos índices de roubo e furto de gado em Goiás”, pontuou. O homem, que já possuía antecedentes criminais por tráfico de drogas, foi encaminhado à Delegacia local. Ele irá responder por crime contra as relações de consumo e posse irregular de arma de fogo.

Fonte: Secretaria de Segurança Pública
Por Gessy Chaves
Jornalista
MT/GO 3243


Share on Google Plus

About Grupo GBC

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão publicados.