Entre pandemia e queimadas, chuvas em 2020 na Cidade de Goiás alcançou o maior volume da década


O ano de 2020 foi marcado pela Pandemia, Desmatamentos e Queimadas. Só na Cidade de Goyaz, o COVID - 19 contaminou até 30/12/2020, 397 pessoas, com 18 óbitos confirmados. Em 2020 as queimadas foram intensificadas e somente no último mês de setembro foram identificados 293 focos de incêndio no território municipal. Alem de colocar em risco diversas espécies da fauna e da flora, os incêndios criminosos provocaram uma expressiva redução da qualidade do ar em nosso município.

No dia 21/09/2020 a quantidade de material particulado na atmosfera vilaboense, superava em cinco vezes o encontrado na poluída capital paulista. No entanto, a boa notícia de 2020 veio do volume de precipitação. Após atingir a menor quantidade dos últimos 50 anos em 2019 (apenas 1013 mm), o ano que se encerrou teve um índice de precipitação no volume de 2305,5, ou seja, mais que dobro do registrado em 2019 e caracterizando como a maior quantidade de chuvas da década que se encerra.


O comportamento pluviométrico da cidade de Goyaz, a partir dos dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), indica uma elevação da concentração de chuvas nos três primeiros meses e nos três últimos meses do ano. As chuvas convectivas (torrenciais) ficam cada vez mais fortes elevando o escoamento superficial das águas, que na ausência de um sistema de drenagem pluvial adequado, aumenta as chances de inundações, sendo que na estiagem agrava o já frágil sistema de abastecimento urbano.

Acompanhar e compreender os dados da Natureza é de fundamental importância para um eficiente Planejamento Territorial.


Texto: Aguas do Cerrado / GWATÁ - UEG
Por Gessy Chaves
Jornalista
MT/GO-3243


Compartilhe no Google Plus

Publicidades

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão publicados.