Chamas no Parque Serra Dourada não param e Cidade de Goiás já tem 293 focos de incêndio no mês de setembro



Alunos e Professores da UEG e do Gwatá/UEG, ajudaram nesta terça-feira (15/09) no combate ao fogo que queima a Serra Dourada e o Parque Estadual, desde último sábado. As perdas para a biodiversidade são imensuráveis, muitos animais mortos e uma perda irreparável de frutas nativas e ervas medicinais, como o cajuzinho e o pequi, que estavam começando a dar frutos.

A fumaça das queimadas na Serra Dourada e região estão tão intensas que encobriram a cidade de Goiás.

De acordo com especialistas, criminosos agem ateando fogo ao redor do Parque e da Serra Dourada no Município de Goiás, o que é enquadrado pela justiça como crime ambiental.


Um levantamento realizado pelo Grupos de Estudos, Pesquisa e Extensão “Águas do Cerrado” - GWATÁ/UEG, a partir de dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), aponta que no município de Goiás, entre os dias 01 e 16 de setembro, foram identificados 293 focos de incêndio. O início dos incêndios florestais ocorreram no mês de maio, quando foram registrado 10 casos.

No mês de junho este número se elevou para 18 focos. Já em julho houve uma trégua não havendo registros de casos, no entanto, o mês de agosto o número de focos saltam para 125 e na primeira quinzena de setembro alcança os inacreditáveis 293 focos de incêndios identificados. Até na presente data, o Águas do Cerrado contabilizou neste ano de 2020, 436 focos de incêndio somente no município de Goiás.

Águas do Cerrado” - GWATÁ/UEG
Por Gessy Chaves
Jornalista
MT/GO 3243


Compartilhe no Google Plus

Publicidades

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão publicados.