Gravada em Goiás Velho, série “Boca a Boca” recebe elogios do público

Produzida pela plataforma de streaming Netflix, a produção brasileira que conta com 6 episódios e ambientação na Cidade de Goiás, recebeu inúmeras críticas positivas do público e da crítica especializada, dentre essas a ressalva pela direção de arte e ambientação das gravações, além de outros aspectos da produção como trilha sonora e atuação.

Na crítica especializada, o grupo Adorocinema classificou a série em 4.0 / 5.0, onde relatam que “À primeira vista, o que chama a atenção em Boca a Boca é a estética, a palheta de cores, as locações e a contagiante trilha sonora. Ao passo em que entrega uma produção muito brasileira — explorando cenários rurais de Goiás e de São Paulo e até mesmo trazendo uma versão remix de “Boi da Cara Preta” — a série consegue entregar um enredo universal, além de uma fotografia e direção de arte apreciadas mundo afora.”

A trama da série se passa em uma cidade chamada Progresso (Cidade de Goiás), e parte inicialmente de um vírus com o contágio sendo feito através do beijo, que causa furor em uma cidade interiorana e conservadora que parece ter se isolado de forma muito deliberada do mundo e onde, portanto, a vida dos jovens aparenta ser controlada de perto pelos pais e pelo colégio. O enredo se desenvolve com o teor de suspense sempre no ar, encaminhando-se para o terror e/ou ficção cientifica, mas principalmente com a problematização em relação aos valores tradicionais, liberdade, sexualidade e preconceitos.

Por fim, a revista Veja aponta o diretor Esmir Filho como autêntico e descreve a série como "extremamente bem filmada", "trilha nota dez" e afirma que "A estreia que vale a pena, entretanto, é esta aqui (Boca a Boca), que entrou quase sem aviso na grade mas deixa impressões fortes". 

Por João Pedro Felix 
ASCOM - CNN
Info. Netflix / Netflix Media Center; AdoroCinema; Revista Veja. 



Compartilhe no Google Plus

Publicidades

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão publicados.