Saiba como receber os R$ 600 do Auxílio em tempo da pandemia Coronavírus


Segundo especialistas, o mundo está próximo de um colapso financeiro, muitas empresas vão fechar as portas e milhares de pessoas irão perder os seus empregos. Enquanto a pandemia causada pelo coronavírus não for for controlada, o mundo passara por dias de escuridão, diz especialistas.

Vários países estão injetando valores extraordinários em circulação, para que as empresas não quebrem. Grande parte dos valores destinados é para a população que está sofrendo com a pandemia causada pelo covid-19. Estados Unidos e outros países, estão custeando trilhões de dólares, para a economia do país não parar.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo vai implementar um plano de R$ 85,8 bilhões para fortalecer os estados e os municípios, medida que visa o enfrentamento da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus.

Após acordo entre governo e Câmara, mais de 24 milhões de brasileiros serão beneficiados durante a crise do coronavírus. Trabalhadores informais terão direito ao auxilio emergencial de R$ 600 reais, por três meses. As mães que são chefe de família ( família monoparental) poderão somar até R$ 1,2 mil, esse valor se enquadra no programa, coronavoucher ou coronavale. A medida foi aprovada nesta quinta-feira (26) de forma virtual pelo plenário da Câmara e deverá ser votada na semana que vem pelo Senado, antes de começar a valer.

O auxilio é uma das proposta do governo, que deverá beneficiar cerca de 24 milhões de brasileiros de baixa renda. Inicialmente o pagamento seria de R$ 200, mais houve acordo entre a Câmara e o governo federal, o valor passou para R$ 600.

Veja os requisitos para receber o benefício:

– Ser maior de 18 anos de idade;
– Não ter emprego formal;
– Não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de outro programa de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família;
– Renda familiar mensal per capita (por pessoa) de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total (tudo o que a família recebe) de até três salários mínimos (R$ 3.135,00);
– Não ter recebido rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70.

Forma de pagamento

Segundo o projeto, o auxílio emergencial será pago por bancos públicos federais por meio de uma conta do tipo poupança social digital.

Essa conta será aberta automaticamente em nome dos beneficiários, com dispensa da apresentação de documentos e isenção de tarifas de manutenção. A pessoa usuária poderá fazer ao menos uma transferência eletrônica de dinheiro por mês, sem custos, para conta bancária mantida em qualquer instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central.

A conta pode ser a mesma já usada para pagar recursos de programas sociais governamentais, como PIS/Pasep e FGTS, mas não pode permitir a emissão de cartão físico, cheques ou ordens de pagamento para sua movimentação.

Se a pessoa deixar de cumprir as condições estipuladas, o auxílio deixará de ser pago. Para fazer as verificações necessárias, os órgãos federais trocarão as informações constantes em suas bases de dados

Por Gessy Chaves
Jornlista
Fonte: zsnews.com.br
Compartilhe no Google Plus

Publicidades

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão publicados.