Cidade de Goiás recebe o novo Cineteatro São Joaquim



Casa e berço de inúmeras manifestações artísticas na cidade de Goiás (GO), passando do teatro à dança, da música ao cinema, o Cineteatro São Joaquim reabre suas portas para voltar a receber a maior riqueza de seus moradores: a cultura. Depois de passar por uma grande obra de requalificação, realizada com investimentos de R$10,09 milhões do PAC Cidades Históricas, o principal equipamento cultural da antiga capital de Goiás será reaberto na próxima sexta-feira, dia 02 de junho.

A inauguração do Cine Teatro acontecerá junto ao lançamento da 19ª edição do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica 2017), e terá ainda uma apresentação do artista goiano Marcus Biancardini. Na solenidade, estarão presentes a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa, o diretor do PAC Cidades Históricas, Robson de Almeida, a superintendente do Iphan/GO, Salma Saddi, o governador Marconi Perillo, a secretária estadual de Educação, Cultura e Esporte, Raquel Teixeira, a prefeita de Goiás, Selma Bastos, entre outras autoridades, reforçando a parceria entre os governos federal, estadual e municipal para a execução da ação.

Requalificação e renovação

Apesar de consolidado como espaço de referência em Goiás, o edifício do Cineteatro São Joaquim estava em estado precário e possuía uma arquitetura que destoava do conjunto da cidade, além de equipamentos e instalações que não atendiam à demanda dos eventos culturais que eram sediados ali. Executada pela Prefeitura Municipal de Goiás com recursos do Governo Federal, a obra de requalificação foi iniciada em julho de 2015 e teve, entre seus desafios, a busca por uma solução arquitetônica que melhor contextualizasse o edifício em relação a seu entorno. Além disso, a ação atendeu às condições de acessibilidade universal e reequipou o Cineteatro com novos sistemas de cênica, luminotécnica, acústica, projeção, refrigeração, prevenção de incêndio, subestação de energia e gerador, além de ampliação do backstage, área técnica, camarins e administração. Outro destaque da intervenção é a incorporação de um painel artístico ao foyer, com autoria do artista plástico e intelectual goiano Elder Rocha Lima, retratando a Serra Dourada.

A proposta de requalificação foi apresentada para a comunidade local em evento público ainda quando da assinatura da ordem de serviço e todo seu desenvolvimento contou com a participação de outros segmentos culturais, gestores e parceiros do Iphan, tais como o Instituto Federal Goiano, a comissão do Fica e produtores culturais locais. A expectativa é de que Cineteatro São Joaquim se consolide agora como o principal equipamento cultural do interior do estado de Goiás, dinamizando a vida cultural da cidade e atraindo desenvolvimento econômico e social.

A requalificação do Cineteatro São Joaquim chega para marcar um processo de transformações pelas quais a cidade vem passando nas últimas décadas, incluindo o melhor desempenho nas ações do PAC Cidades Históricas em todo o país. Para além das ruas de pedras e do casario, que ainda hoje são a marca do conjunto que é protegido pelo Iphan e reconhecido como Patrimônio Cultural Mundial pela Unesco, a cidade resiste e se renova por meio de uma valiosa produção cultural e artística.

O coração de Vila Boa

Em 1857, às margens do Rio Vermelho, foi inaugurado um teatro na cidade de Goiás, por iniciativa dos comerciantes da antiga capital. Após uma grande enchente, esse teatro deixou de existir e a cidade recebeu, já na década de 1920, um novo aparelho cultural, o Cine Anhanguera. Apesar dos esforços do poder público em manter o local, suas instalações eram deficientes e foram demolidas para a construção de um novo imóvel, de feição funcional, mas sem considerar o seu entorno, que é marcado pelas características da arquitetura vernacular dos séculos XVIII e XIX. Na década de 1990, ele então voltou a receber o primeiro nome, como Cine Teatro São Joaquim, e, mesmo depois de passar por várias reformas e perder as relações estéticas com o projeto inicial, consolidou-se como palco de importantes apresentações culturais para a cidade.

Ainda hoje, as canções, as cores e as letras de Goiás percorrem os becos e se encontram logo depois da ponte da Casa de Cora Coralina, em frente à Cruz do Anhanguera, meio do caminho entre o Museu de Arte Sacra e a Igreja do Rosário. Coração da cidade, o Cine Teatro São Joaquim é o quinto espaço a receber investimentos do PAC Cidades Históricas na antiga Vila Boa, em um total de seis ações. Além dele, já foram concluídas a Restauração da Escola de Artes Veiga Valle, a Recuperação da Ponte da Cambaúba, a Restauração do Mercado Municipal e a Instalação do Arquivo Diocesano de Dom Tomás Balduíno.

O PAC Cidades Históricas está presente em 44 cidades de 20 estados brasileiros, totalizando R$1,6 bilhão em investimentos em 424 ações. O Programa é uma linha exclusiva do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), criada em 2013 para atender os sítios históricos urbanos protegidos pelo Iphan, proporcionando a revitalização das cidades históricas, a restauração dos monumentos e a promoção do patrimônio cultural.

Fonte: http://site.seduce.go.gov.br
Por Gessy Chaves
Jornalista
MT/GO-3243

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão publicados.

 
© Copyright Jornal Classifique 2011 - Todos os Direitos Reservados | Powered by Grupo GBC.
Template Design iNOVA Criaçoes | Desenvolvido para Jornal Classifique e Novagraf