Vivendo Saúde - Dra. Daíne Vargas Couto


Hanseníase: uma doença curável 

A hanseníase, antigamente conhecida como lepra, é uma doença infectocontagiosa causada por uma bactéria denominada Mycobacterium leprae. O Brasil é o segundo país do mundo com maior número de casos da doença, só perdendo para a Índia. Mas é importante lembrar que a hanseníase é uma doença totalmente curável, e não há motivo para preconceito.
A transmissão do M. leprae se dá através de contato íntimo e contínuo com o doente não tratado. O período de incubação é prolongado, e pode variar de seis meses a seis anos. Apesar de ser uma doença da pele, é transmitida através de gotículas que saem do nariz, ou através da saliva do paciente. Não há transmissão pelo contato com a pele do paciente.
Afeta primordialmente a pele, mas pode afetar também os olhos, os nervos periféricos e, eventualmente, outros órgãos. O primeiro e principal sintoma são o aparecimento de manchas de cor mais clara que a pele normal ou vermelhas. Nessas áreas pode ocorrer perda de sensibilidade térmica, perda de pelos e ausência de transpiração. Quando afeta o nervo da região em que se manifestou a doença, causa dormência e perda de força muscular na área. Podem aparecer caroços e/ou inchaços em algumas partes do corpo, como orelhas, mãos e cotovelos; e pode haver alteração na musculatura esquelética causando deformidades nos membros.
O diagnóstico da hanseníase é feito pelo dermatologista, e envolve a avaliação clínica do paciente, com aplicação de testes de sensibilidade, palpação de nervos, avaliação da força motora etc.
A doença é curável, mas se não tratada pode ser preocupante por causar deformidades. O tratamento é gratuito e fornecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). É utilizada uma combinação de medicações e o tratamento completo é em longo prazo, podendo chegar a mais de um ano.
A principal prevenção da doença é fazer os portadores de hanseníase se tratar e assim acabar com a bactéria e, consequentemente, com a possibilidade de contágio. Os familiares e pessoas próximas a um doente devem procurar um médico para avaliação, quando for diagnosticado um caso de hanseníase na família. Dessa forma, a doença não será transmitida nem pela família nem pelos parentes próximos e amigos. 

Dra. Daíne Vargas Couto
Médica Dermatologista
CRM 15012 RQE 9198

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão publicados.

 
© Copyright Jornal Classifique 2011 - Todos os Direitos Reservados | Powered by Grupo GBC.
Template Design iNOVA Criaçoes | Desenvolvido para Jornal Classifique e Novagraf