20/04 - 22:38h - OXI

Como se não bastasse o efeito devastador do uso do crack, que tem se espalhando pelas regiões sul e sudeste do Brasil, uma nova droga foi descoberta recentemente no estado do Acre, fronteira com a Bolívia. Possivelmente uma das mais potentes e perigosas drogas conhecidas, o OXI ou OXIDADO, como é conhecido pelos usuários, é uma variante do crack.

A diferença é que, na elaboração, ao invés de se acrescentar bicabornato e amoníaco ao cloridrato de cocaína, como é o caso do crack, adiciona-se querosene e cal virgem para obter o Oxi.

Vendido em pedras – que podem ser mais amareladas ou mais brancas, dependendo da quantidade de querosene ou cal virgem. A pedra é consumida em latinhas com furos, como o crack, o que torna a fumaça mais pura e o efeito ainda mais forte. Usuários dessa droga á trituram e misturam com cigarros ou em pó aspirando-a. O consumo é sempre acompanhado de bebida alcoólica, (muitos usam junto com álcool, não o álcool de beber, mas o álcool etílico, que eles misturam com suco de groselha).

No começo os usuários sentem uma sensação de euforia, de ânimo. Depois vem o medo, a mania de perseguição, a paranóia. O efeito de cada pedra dura cerca de 15 minutos.

Para conseguir mais droga e calar a fissura, é comum os usuários se entregarem a pequenos roubos e á prostituição, o que os torna mais vulneráveis á AIDS e demais doenças sexualmente transmissíveis.

Extremamente nocivo ao organismo, o uso do oxi perturba o sistema nervoso central e leva á “paranóia”, ao medo constante. Mas vai, além disso: “Eles ficam nervosos, há emagrecimento rápido, ficam com cor amarelada, têm problemas de fígado, dores estomacais, dores de cabeça, náuseas, vômitos, diarréia constante.”

Alguns usuários de Oxi quando param de pipar a pedra, tragando a fumaça pela boca, já caem vomitando e defecando, e ficam tendo barato no meio do vômito e das fezes, até se levantarem e consumir de novo.


Por:JulianaChaves
Fonte: Projeto Viva Vida

Um comentário:

BlueR@y disse...

ótima Matéria

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão publicados.

 
© Copyright Jornal Classifique 2011 - Todos os Direitos Reservados | Powered by Grupo GBC.
Template Design iNOVA Criaçoes | Desenvolvido para Jornal Classifique e Novagraf