09/04 - 14:11h - Fica 2012 promete aliar a tradição a um festival inovador e inesquecível.

O senhor acredita que o Fica ajuda na conscientização da preservação do meio ambiente?
Gilvane Felipe - Eu não tenho dúvidas quanto a isso. O Fica é um festival que, ao mesmo tempo que sensibiliza as pessoas para a chamada sétima arte, o cinema, para o vídeo, também provoca a crítica, o pensamento e a discussão em torno do meio ambiente. Tanto é que todos os filmes são temáticos. Paralelamente às mostras cinematográficas há seminários, palestras, debates dentro da programação do festival que incentivam isso.

E de que forma o festival também contribui para o audiovisual goiano?
Gilvane Felipe - Nós temos vários produtores que são verdadeiros filhos do Fica. Não temos a menor dúvida de que o audiovisual goiano passou por uma revolução desde a criação do festival. Mas acredito que precisamos trabalhar ainda mais isso. Esperamos ver ainda mais indicativos de resultados nesse sentido e estamos vendo crescer o número de produtores, realizadores, pesquisadores... de pessoas que trabalham com cinema e com o vídeo e isso é um dos resultados positivos do Fica.

Muitos profissionais já foram revelados nesse festival?
Gilvane Felipe - Com certeza. Há goianos que ganharam prêmios nacionais. Há toda uma premiação feita pela Associação Brasileira de Documentaristas (ABD), que já destacou muitos filmes feitos por goianos e exibidos durante o Fica. São incontáveis os resultados do festival para a cultura goiana. Eu acho que isso, inclusive, daria um bom estudo. Um bom tema para tese de mestrado.

Muita gente questiona a presença da música em um festival de cinema. O Fica pode ser considerado um festival multicultural?
Gilvane Felipe - O Fica, apesar do nome citar apenas cinema e vídeo ambiental, lida com o meio ambiente, que é um dos pilares; com o cinema, outro pilar; e o último que é a música, que apesar de não ter entrado no nome, sempre esteve presente. Se você for verificar desde o começo do festival, a música sempre se fez presente com muito destaque. Nós temos pesquisas que mostram que o grande percentual das pessoas que vão à cidade de Goiás para participar do Fica, vão também por causa da música. Então eu não vejo contradição em termos um festival de cinema e vídeo ambiental e ao mesmo tempo grandes e belas apresentações musicais. Eu não vejo contradição nisso.

Há a possibilidade do Fica sair da cidade de Goiás?
Gilvane Felipe - Não. Essa não é a opinião dessa gestão, não é a opinião da Secretaria da Cultura, não é a opinião do governador do Estado e tenho certeza que não é a opinião da maioria das pessoas sensatas que trabalham com cultura em Goiás. O Fica tem o seu DNA ligado à belíssima Vila Boa e nós queremos também que a cada dia mais ele fica mais identificado com aquela cidade. De qualquer forma, o festival já é levado a outras cidades através do projeto do Fica Itinerante. Logo após o Fica nós realizamos mostras com os filmes premiados em cidades tanto no interior do Estado como em várias capitais do País.

E qual o ganho para a cidade de Goiás com esse festival?
Gilvane Felipe - Em primeiro lugar acho que sem o Fica até o título de Patrimônio da Humanidade teria sido um pouco mais difícil para a cidade de Goiás. A cidade seria menos conhecida. Ao mesmo tempo que o festival chama a atenção para os problemas ambientais, leva também para aquela cidade, durante uma semana, a inteligência brasileira e internacional, todas as pessoas que pensam hoje o meio ambiente, pensam o audiovisual. O Fica leva para lá também grandes expressões musicais e artísticas, ou seja, presta um belíssimo serviço de divulgação turística e patrimonial da cidade. Eu não tenho a menor dúvida de que o Fica é um dos eventos mais importantes para a cidade de Goiás e é um dos eventos mais importantes do Estado. Já é um evento consolidado no calendário goiano. O Fica está hoje entre os quatro principais festivais de cinema e vídeo ambiental do mundo. Então é um festival consolidado, do qual participam mais de 200 países a cada edição.

E o que podemos adiantar da 14º edição do Fica, que acontece de 26 de junho a 1º de julho?
Gilvane Felipe - Aguardem uma programação bastante inovadora e muito rica para o Fica 2012. Ainda estamos guardando segredo, pois alguns detalhes estão em negociação, então precisamos de cautela, mas a expectativa é de fazer o lançamento da programação no mês de maio. Todos podem ficar tranquilos, pois teremos um Fica inovador e inesquecível no ano de 2012.

Por:JulianaChaves
Fonte:GoiaséDemais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão publicados.

 
© Copyright Jornal Classifique 2011 - Todos os Direitos Reservados | Powered by Grupo GBC.
Template Design iNOVA Criaçoes | Desenvolvido para Jornal Classifique e Novagraf